fbpx

Hoje vamos falar sobre o metrónomo, um dos companheiros inseparáveis de qualquer músico.

Afinal, o que é?

Pensa no metrónomo como um relógio musical. Assim como o relógio é responsável por marcar o tempo e orientar-te em função dele, musicalmente o metrónomo desenvolve o mesmo papel. ⠀

Trata-se de uma ferramenta que produz uma marcação de tempo num intervalo regular dado em batidas por minuto (BPM), para te ajudar a tocar ritmos com precisão. A maioria dos metrónomos têm um range que pode ir dos 30 aos 250 BPM.

E porque é tão importante o seu uso?

Cada música tem diversas notas e cada nota é tocada num determinado tempo. Agora imagina tocar todas essas notas sem distinção, com a mesma duração de tempo. A música iria mudar totalmente o sentido original.⠀

Por isso o metrónomo é essencial para te orientar quanto à duração de cada batida, assim como desenvolver e manter uma noção de tempo e ritmo.⠀

Alguns tipos de uso específicos:⠀

▪ Aprender a tocar nos tempos;⠀
▪ O estudo de técnica;⠀
▪ Ajudar os engenheiros de áudio a sincronizar as faixas de áudio;⠀
▪ Para manter a cadência desejada nas gravações.

Deixamos-te agora 5 passos para te ajudar a praticar:

1. Desliga o metrónomo – Quando começas a aprender uma parte da música, é importante conhecer as notas sem te preocupares com o tempo.⠀

2. Começa lento – O objetivo é encontrar um intervalo que te pareça confortável e depois aumentá-lo gradualmente.⠀

3. Encontra o problema – Cada música tem partes mais difíceis que outras. O metrónomo vai ajudar-te a identificar esses pontos. Sem isso, é provável que desaceleres inconscientemente nessas partes.⠀

4. Pratica o problema separadamente – Com o metrónomo desligado, tenta tocar apenas as partes que estão a ser a tua dificuldade, até te começares a sentir mais confortável. ⠀

5. Repetir – Agora liga o metrónomo e toca a música toda. Vais ver que irá fluir com muito mais facilidade.

Deixar um comentário

Sobre o Camaleão

Aberto 24 horas
R. Castelo Branco Saraiva 18A
1170-082 Lisboa

T. 917 416 159
E. info@camaleao.eu

© 2020 Camaleão